Scroll Top

Bons hábitos

Como juntar dinheiro: 67 dicas de economia para por em prática a partir de hoje

Não são raras as pessoas que reclamam da dificuldade em conseguir guardar dinheiro – seja para fazer uma viagem legal, seja para um projeto maior, como comprar ou construir uma casa, trocar o carro etc.

A verdade é que muita gente tem dificuldade em administrar seu dinheiro, geralmente, gastando mais do que recebe e, com isso, se afundando em dívidas e/ou nunca tendo um dinheirinho extra quando precisa.

Leonardo Morotti, assessor de Investimentos na TORO Investimentos, comenta que, primeiramente, enquanto todos pensam em “como gastar menos”, ele recomenda pensar antes em “como ganhar mais”. “É uma diferença pequena, mas que pode lhe mostrar novas alternativas. Em seguida, é necessário organizar quais são suas receitas e despesas mensais, para então conseguir identificar onde você gasta mais e por quê”, diz.

leia também:

É claro que economizar e juntar dinheiro não é fácil, mas algumas dicas simples podem ajudar. Muitas vezes, a pessoa gasta mais por “puro hábito”, mas, felizmente, hábitos podem ser mudados e, se desejar, esta pessoa pode passar a gastar somente o necessário – sem fazer grandes sacrifícios, mas mudando algumas atitudes do dia a dia.

67 métodos eficazes para juntar dinheiro

Abaixo você confere dicas simples, mas que fazem toda a diferença na hora de economizar, levando em conta os diferentes tipos de despesas que a maioria das pessoas tem.

Pagamento de contas e dicas gerais de comportamento

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

1. Leonídio de Oliveira Filho, empresário e criador do site Dica de Preço, fala que disciplina é palavra-chave. “Você deve, antes de tudo, aprender a avaliar suas necessidades e planejar suas compras”, diz.

2. Oliveira Filho recomenda olhar para o salário em grandes blocos: (1) gastos recorrentes indispensáveis, como alimentação, luz, água, educação etc. (2) Emergências, determine um valor para guardar para emergências. Lembre-se não que importa que seja 1, 10 ou 1.000 reais, o importante é a disciplina. (3) Investimento. (4) Consumo, determine um valor, não importando quanto seja, desde que esteja dentro do seu orçamento.

3. Morotti destaca que uma dica que tem se mostrado muito eficaz na hora de guardar dinheiro é sempre separar este montante no início do mês, assim que receber o salário, e não deixar para o final do mês, “caso sobre” para guardar. “Este dinheiro que sobra no final do mês dificilmente é guardado, principalmente porque nos sentimos confortáveis para gastar este montante ao perceber que em poucos dias já iremos receber novamente”, diz.

4. No caso de quem já possui dívidas, de acordo com Morotti, o ideal é pagá-las o quanto antes, visto que os juros cobrados pela dívida são bem maiores que os juros pagos em uma aplicação.

5. Tenha sempre anotado quais são seus “gastos fixos” mensais, como, por exemplo, “90 reais do telefone”, “100 da internet e televisão”, “100 reais da água” etc. Assim que receber, já pague estas contas, isso é muito eficiente para que você “não conte” com um dinheiro que, na verdade, não terá após pagar todas as suas contas.

6. Nunca gaste mais do que ganha.

7. Se possível, encontre uma fonte de renda passiva (juros, aluguéis, dividendos etc.).

8. Evite ao máximo os financiamentos. Use somente se você tiver o dinheiro aplicado e ele render mais do que a taxa de juro efetiva do financiamento.

9. Pague sempre a fatura completa do seu cartão de crédito (e não o valor mínimo), para não se endividar cada vez mais.

10. Se achar viável, cancele seu cartão de crédito. Esta é uma ótima maneira de controlar mais seus gastos.

11. Pense em como pode ganhar mais dinheiro: “faça isso gerando aquela renda extra, quem sabe, vendendo bolos, serviços etc. Olhe para frente e faça planos para sua carreira, seja como funcionário ou empreendedor”, orienta Oliveira Filho.

Alimentação

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

12. Morotti explica que, caso você viva em uma família aonde todos podem almoçar em casa, isso com certeza ajudará a diminuir os gastos de forma considerável.

13. “Já para quem mora sozinha ou precisa almoçar perto do trabalho, vale pensar em levar comida de casa ou procurar por marmitas diferenciadas. Existem várias ofertas hoje em dia de marmitas (a grande maioria fitness) para almoço e janta, que podem sair bem mais baratas do que ir a um restaurante”, acrescenta Morotti.

14. Oliveira Filho ressalta que comer em casa sempre é mais barato, portanto sempre que possível faça isso. “Mas, caso queira variar, procure sites de cupons de ofertas ou fique de olho nas promoções de descontos, selos etc. Em tempos de crise, os restaurantes também oferecem bons descontos e programas de fidelização. Se puder pedir em casa, não gastará com gasolina”, diz.

15. Se você e sua família adoram comer uma pizza aos domingos, por exemplo, considere fazer a pizza em casa, sempre que possível. Com certeza sairá “muito mais em conta”. O mesmo vale para lanches, tapiocas etc. É sempre uma boa alternativa comprar ingredientes variados e fazer em casa.

16. Não desperdice alimentos, “por mais baratos que pareçam”. Por exemplo: fez uma sopa e sobrou bastante? Congele-a para comer num outro dia! O mesmo vale para o feijão, para frutas, e muitos outros alimentos.

Transporte

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

17. Oliveira Filho explica que deixar o carro em casa ou até mesmo vendê-lo, se possível, ainda é a melhor maneira de economizar. “Então considere o transporte coletivo, a bicicleta e até mesmo a caminhada se for perto. Lembre-se: o carro não é somente a gasolina que faz parte do seu custo, tem seguro, manutenção etc.”, diz.

18. Mehanna Mehanna, sócio-fundador da TORO Investimentos, sugere compartilhar carro/carona com quem tem o mesmo trajeto que você. “Seja para o trabalho, seja para a faculdade…”, diz.

19. “Se necessita de carro e tem longos trajetos, foque em modelos que sejam mais econômicos e gastem menos combustíveis”, destaca Mehanna.

20. Se frequentemente pega taxi, Mehanna sugere buscar alternativas de economia compartilhada, como o Uber.

21. Na hora de colocar combustível no carro, não deixe de pesquisar. Muitas vezes há bastante diferença no preço de um posto e de outro. Esteja sempre de olho em promoções.

Compras em geral

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

22. Se a compra oferecer benefícios para pagamento à vista, prefira fazer isso.

23. Não compre nada por impulso, porque “olhou e gostou”, e nem porque “estava barato e você quis aproveitar”.

24. Oliveira Filho destaca que Planejar, Pesquisar e Pechinchar são as palavras de ordem. Não deixe para comprar no desespero, se antecipe.

25. “Agora com a internet você pode pesquisar tudo sobre o produto antes de escolher a marca e modelo. Sites de reclamações e vídeos de reviews são excelentes. Após definir o que quer, pesquise nos sites comparadores de preços, vale ficar atento que nem todos oferecem os mais baratos no começo da lista como no Dica de Preço”, destaca Oliveira Filho.

26. Se for comprar em uma loja física, não deixe de pedir um desconto especial, oferecendo se possível pagamento à vista, orienta Oliveira Filho.

27. “Para lojas virtuais também vale, às vezes, uma ligação para pedir um desconto especial para o atendente”, acrescenta Oliveira Filho.

28. “Na hora de comprar, dê preferência a modelos que podem durar mais, pois às vezes o barato pode lhe fazer comprar novamente antes do que você espera”, destaca Oliveira Filho.

29. Opte por medicamentos genéricos sempre que possível.

30. Está pensando em comprar algo novo?! Que tal vender o antigo? Hoje em dia é muito fácil vender os mais variados tipos de produtos pela internet, em sites como Mercado Livre; ou até mesmo em grupos locais no Facebook.

31. Esteja sempre atenta a sites e/ou grupos no Facebook que vendam produtos usados – alguns estão em ótimo estado e com preço especial.

32. Evite os parcelamentos, especialmente em compras que não eram urgentes, pois assim você “não perde o controle” do que tem ou não gastado.

33. Pare de fumar. Além de esta ser uma dica essencial para a boa saúde, com certeza fará você economizar.

Despesas domésticas

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

34. Mehanna orienta assumir atividades que, com um pouco de organização de tempo, você consegue dar conta e eliminar prestadores de serviços.

35. Mehanna aconselha ainda trocar lâmpadas e eletrodomésticos antigos (geladeira, ar condicionado) por mais econômicos.

36. “Revise os planos de telefonia e internet, ajuste-os às necessidades, renegocie para as condições promocionais atuais”, acrescenta Mehanna.

37. Oliveira Filho sugere fazer uma lista de compras mensais do supermercado. “Muitas vezes vale a pena comparar o total da compra e nem sempre item, pois o gasto com o carro indo de um lado para o outro pode inverter a economia. No máximo, veja se pode quebrar a lista em duas partes para dois estabelecimentos. Alguns itens de supermercado já podem ser encontrados no Dica de Preço, então vale a pesquisa”, diz.

38. “Não se renda tão fácil às grandes marcas, pois muitas vezes produtos de marcas menos conhecidas fazem o mesmo ou melhor, por um preço bem menor”, acrescenta Oliveira Filho.

39. “Hoje, ter uma alimentação saudável está muito caro, mas tem uma maneira de contornar: procure pequenos estabelecimentos perto da sua casa, em produtores locais você poderá encontrar alimentos frescos e mais baratos”, destaca Oliveira Filho.

40. Fazer uma horta em casa também é uma ótima dica.

41. Crie hábito de manter o máximo possível as luzes da casa apagadas. Acostume-se também a ver TV com as luzes da sala apagadas (se ainda não tem esse hábito).

42. Se não estiver usando, desligue a televisão e o computador; não há motivos para mantê-los ligados o dia todo somente com a expectativa de que irá usá-los mais tarde.

43. Cuidado com os gastos com impressora! Imprima somente o que for necessário!

44. Economize nas ligações. Atualmente, com o uso do Whatsapp, fica muito mais fácil falar somente quando necessário ao telefone/celular.

45. Se fica pouco em casa e, nesse horário, não necessita de internet, cogite desligar seu plano de internet em casa; utilizando a internet do celular quando precisar. Ou, veja ainda se é possível “dividir o wi-fi” com algum vizinho.

46. Se você tem um computador em casa, mas que usa pouco, pois atualmente utiliza mais o notebook, que tal colocá-lo à venda?

Socialização e viagens

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

47. Oliveira Filho destaca que encontros, jantares e almoços com os amigos em casa podem sair bem mais barato do que sair (em barzinhos ou restaurantes) e geralmente são muito mais divertidos.

48. “Viagens em grupo também podem ajudar na hora da pechincha, porém, claro que os sites de pesquisa de preços são visitas obrigatórias”, diz Oliveira Filho.

49. Vale a pena considerar fazer uma viagem fora de temporada, o que geralmente surpreende em custo/benefício.

50. Mehanna destaca que, para viagens, a palavra-chave é planejamento. “Utilize sites que comparem e monitorem preços de passagens, assim como te alertem de condições promocionais (Melhores Destinos, Sky Scanner). Utilize soluções de hospedagem mais econômicas que hotéis (AirBNB)”, diz.

51. “Se for viajar para fora, aproveite boas condições de moeda estrangeira, compare antes de fechar, aproveite as baixas da moeda para fazer compras periódicas. Tem site que ajuda nisso também (melhorcambio.com)”, acrescenta Mehanna.

52. Cozinhe sempre que possível em casa, seja para os amigos, seja para a família ou para um jantar a dois. Mas, se for sair vez ou outra, procure lugares com bom custo X benefício, conforme orienta Mehanna.

53. Procure ir a eventos gratuitos em sua cidade ou cidades vizinhas, sempre há coisas legais!

Higiene, beleza e vestuário

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

54. Oliveira Filho orienta a pesquisar antes de comprar determinado produto: “conversar com os amigos e amigas sobre esses produtos, assim como pesquisar em blog e assistir vídeos podem ajudar você a ter seu kit básico e assim ficar de olho em eventuais ofertas de última hora.”

55. No salão de beleza, não deixe de pedir um desconto se for pagar à vista, orienta Oliveira Filho.

56. “Tente frequentar sempre o mesmo salão, pois clientes antigos sempre têm mais poder na hora da pechincha. Mas, se o salão for duro no desconto, não pense três vezes em mudar. Seja fiel àquele que entende a situação do país e que ofereça um bom serviço”, destaca Oliveira Filho.

57. Mehanna sugere ajustar peças de roupa que você gosta mas não estão vestindo bem.

58. Se possível, dê preferência a fazer em casa atividades que você tenha domínio (como unha, depilação, hidratação e maquiagem), orienta Mehanna.

59. Se não domina fazer as unhas você mesma, converse com sua manicure sobre pacotes mensais (para mãos e pés), que normalmente saem “mais em conta”. Ou ainda, tente reduzir a frequência de fazer os pés e as mãos, se achar viável.

60. Opte por um corte e/ou cor de cabelo que exija menos manutenção.

61. Sempre que pensar em fazer uma mudança nos seus cabelos, reflita sobre a manutenção que essa mudança exigirá. Por exemplo, clarear os cabelos geralmente exige retoque frequente da raiz, hidratação mais constantemente etc.

62. Se tiver roupas que não usa mais, mas que estão em bom estado, não hesite em tentar vendê-las pela internet. Isso pode render um dinheirinho extra.

63. Não compre roupas, sapatos e/ou acessórios por impulso. Pense sempre “eu preciso mesmo comprar isso agora? Ou posso deixar para mês que vem?”. Pois, talvez, “deixando para mês que vem”, ao passar alguns dias, você desista da compra.

64. Na academia, veja a possibilidade de fechar planos semestrais ou anuais que costumam sair bem “mais em conta”.

65. Atualmente existem inúmeras academias, se achar que está pagando caro a mensalidade da sua, não hesite em pedir um desconto e/ou em procurar outra.

66. Se não quiser/puder gastar com academia, exercite-se em casa ou ao ar livre. Hoje, inclusive, muitos aplicativos podem ajudar neste sentido. Caminhada, bicicleta, corrida são apenas alguns exemplos.

67. Tem um casamento ou outro evento especial? Em vez de comprar uma roupa nova, que tal utilizar algum vestido que você não usa há tempos, ou emprestar de alguma amiga? Afinal, roupa social não é utilizada com muita frequência… Geralmente você compra (e não paga barato por isso!) e, depois, ela fica anos e anos parada no guarda-roupa.

Qual a melhor maneira de guardar ou investir o dinheiro poupado?

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

Uma dúvida muito comum é: o que fazer com o dinheiro poupado? Quando ele fica “parado em casa” ou, simplesmente, “disponível na sua conta bancária”, é muito provável que ele seja usado de maneira desnecessária… E aí: “adeus economia!”.

Confira as principais opções abaixo e as dicas dos profissionais para escolher a que mais se encaixa nas suas necessidades:

Poupança

De acordo com Oliveira Filho, a vantagem de colocar o dinheiro na poupança é que não existe valor mínimo, o que é bom para o pequeno investidor. “A desvantagem é, geralmente, que este é o investimento de menor rentabilidade”, diz.

Leonardo Morotti destaca ainda que a vantagem da poupança é que você encontra a liquidez imediata, ou seja, você resgata o capital aplicado a qualquer momento, em algumas, até através de um cartão de débito. “Porém, isto tem um custo, e o custo disso são as desvantagens da poupança quando comparada às outras opções de liquidez diária (quando você consegue resgatar sua aplicação em no máximo 1 dia útil)”, diz.

“A maior desvantagem é na rentabilidade que, muitas vezes, após descontar a inflação, fica praticamente zerada ou até mesmo negativa. Em 2015, por exemplo, o dinheiro aplicado na poupança valorizou 8%, porém, o preço das coisas (inflação) aumentou 10%. O que isto significa? Que se você tivesse aplicado este dinheiro na poupança no início de 2015, em vez de comprar coisas, no final de 2015 você poderia comprar menos coisas (2% a menos) do que antes”, ressalta Morotti.

Guardar o dinheiro em casa

Leonardo Morotti destaca que o dinheiro poupado e guardado em casa tem duas grandes desvantagens:

Primeira: o dinheiro está mais vulnerável do que em um banco, pelo simples fato de o banco investir mais em estrutura e segurança, e garantir que irá devolver seu dinheiro (mesmo que ele seja roubado do cofre do banco).

Segunda: o dinheiro não estará acompanhando a inflação, ou seja, como o preço das coisas aumenta (inflação), pode-se dizer que você está perdendo poder de compra, ou seja, no decorrer do tempo, você poderá comprar menos coisas com este dinheiro.

Investimento

Morotti explica que, ao investir, seu objetivo principal é o de bater a inflação, para que você possa manter o seu poder de compra (ou seja, ao menos comprar a mesma quantidade de coisas com este dinheiro). “Adicionalmente, espera-se que este dinheiro tenha um rendimento superior à poupança, para que o mesmo se valorize, e aumente seu poder de compra”, diz.

Oliveira Filho destaca que, no caso de investir o dinheiro poupado, é preciso saber de uma regra: “o prêmio é proporcional ao risco, ou seja, prêmio grande = risco grande. Primeiro descubra quem você é, empreendedor ou profissional/funcionário; e isso irá determinar as vantagens e desvantagens”, diz.

Você pode estar se perguntando: e quais são as principais formas de investimento que o brasileiro pode optar atualmente?

André Chede, planejador financeiro certificado internacionalmente com o CFP® (Certified Financial Planner) e sócio-fundador da TORO Investimentos, explica que, com a alta dos juros, os investimentos em Renda Fixa têm sido ótimas opções. “Os destaques hoje são os isentos de Imposto de Renda para Pessoa Física, como LCI e LCA, com aplicações a partir de R$10 mil. Para um prazo acima de 3 anos, também é bastante recomendado investimentos em Títulos Públicos, por meio do Tesouro Direto. Os investidores que possuem visão de longo prazo devem também cultivar uma carteira de ações, pois, apesar do mau momento da economia, ainda existem opções interessantes para aplicar”, diz.

Para Oliveira Filho, em ordem de facilidade, as melhores opções são: Poupança, CDB, Fundos, Tesouro Direto, Ações, Imóveis, Franquias, Comércio, Fábricas.

Agora você já sabe: não é a tarefa mais simples do mundo, mas sempre é possível economizar um pouco mais e, assim, conseguir juntar um bom dinheiro; isso é, sem deixar de aproveitar a vida, mas apenas evitando excessos e mudando alguns hábitos! Comece hoje mesmo!

fonte: DicasdeMulher

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.