Scroll Top

saude

Veja quando é ou não necessária a extração dos dentes do siso

Conhecidos popularmente como dentes do juízo, os dentes do siso geralmente são motivo de preocupação para os jovens, especialmente por conta da dor que podem causar. Até pouco tempo, a extração era a regra geral para evitar problemas. Hoje essa nem sempre é a realidade e vale analisar o seu caso antes de decidir.

Professional dental doctor is working in her office. The woman is standing under patient and holding tools. Her assistant is helping her. The man is looking down with joy

Quando a dor é contínua, extração é a única opção. Foto: iStock, Getty Images

Dentes do siso devem ser extraídos ou não?

Atualmente, a orientação geral é a seguinte: se a erupção do dente for completa e ele estiver saudável, bem posicionado e oferecendo boas condições de higiene bucal, poderá ser preservado. Quem explica melhor a questão é o cirurgião-dentista Artur Cerri.

De acordo com o especialista, a conduta de extrair todo e qualquer dente do siso aumentou agressivamente na década de 50, por conta do acesso facilitado aos antibióticos e equipamentos elétricos. Mas novas diretrizes fizeram o número de extrações despencar a partir do início dos anos 2000.

“Trata-se de um procedimento doloroso para o paciente, com tempo de recuperação que pode levar até três semanas e necessidade de fazer uso de medicamentos potentes no pós-operatório. Sendo assim, a extração do siso tem de ser muito bem indicada”, aponta Cerri.

Em alguns casos, porém, a extração ainda se faz necessária. O grande problema é que, na maioria dos pacientes, não há espaço suficiente para que o nascimentos dos dentes ocorra, assim como a completa a erupção num ângulo ideal.

“Há casos em que ele permanece completamente escondido sob a gengiva – muitas vezes, em posição horizontal. Também pode acontecer de ele emergir parcialmente. Isso pode resultar num problema de grandes proporções no futuro, já que o paciente não terá condições de fazer uma higiene ideal”, esclarece o especialista.

Por isso, a extração costuma se justificar em casos recorrentes de dor, repetição de infecções, presença de cistos ou tumores, gengivite ou cárie profunda. Cabe ao seu dentista avaliar bem a situação e ajudar você a tomar a decisão certa.

Cuidados depois de extrair os sisos

Se após uma radiografia panorâmica da boca a avaliação do dentista apontar que você deve retirar os sisos, é importante ter atenção nos cuidados necessários após a cirurgia e evitar complicações.

“Após o procedimento cirúrgico, é normal ocorrer inchaço e dor por cerca de três a quatro dias. Nesse período, é fundamental evitar alimentos quentes e abrir mão das atividades físicas”, aconselha a gerente médica Talita Poli Biason. Ela compartilha ainda outras recomendações gerais:

Alimentação: nos dias que sucedem a cirurgia, a alimentação deve ser líquida e pastosa. Sopas, purês, vitaminas e sucos evitam desconfortos.

Medicação: na maioria das vezes, é necessário usar medicamentos para impedir infecções ou inflamações no local da extração. Podem ser usados analgésicos, anti-inflamatórios e, em alguns casos, até antibióticos, de acordo com as orientações médicas.

Fumo e bebida alcoólica: ambos prejudicam a cicatrização, já que as substâncias tóxicas do cigarro interferem na cura e o álcool irrita a mucosa oral. Portanto, evite até a retirada dos pontos.

E você, já teve que fazer a extração dos dentes do siso? Conte como foi a sua experiência.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.